00h47

Exclusivo: Bolívar Lamounier defende reformas imediatas na economia brasileira

Compartilhe
Exclusivo: Bolívar Lamounier defende reformas imediatas na economia brasileira
Defensor da desestatização e de um modelo econômico ajustado à realidade brasileira e que ofereça um “amplo programa de apoio à pequena e média empresa”, o cientista político Bolívar Lamounier sente um clima mais favorável no ambiente político com a troca de presidente na Câmara de Deputados – sai Eduardo Cunha e entra Rodrigo Maia, mais afinado com Michel Temer. Ainda que considere necessário para a economia consolidar indicadores que mostrem uma retomada vigorosa do crescimento, a qual só deverá ocorrer entre 2018 e 2019, Bolívar também acredita que já é possível experimentar ventos favoráveis, alguns deles sinalizados pelo mercado. Crítico da política econômica adotada pelo governo de Dilma Rousseff, que estimulou ”todo mundo a se endividar e pagando juros astronômicos”, o cientista político entende a necessidade de o atual governo agir de imediato e manter firme a proposta das reformas trabalhista e previdenciária e, posteriormente, de apresentar projetos para as áreas tributária e política. Bolívar Lamounier também é favorável a uma participação mais ativa da sociedade, especialmente dos agentes econômicos, para o fortalecimento da economia e o afastamento gradativo do que chama de “ilusão chinesa”, para a qual a solidez econômica deve ter como base os grandes conglomerados produtivos. Indagado sobre a experiência dos brasileiros, que saíram de uma boa condição de consumo para a recessão econômica, o cientista político entende que a propensão para consumir é muito intensa. Mas “espera” que os consumidores tenham aprendido a se endividar menos. O senhor acredita que Rodrigo Maia, à frente da Câmara, surge como uma nova liderança, com capacidade para apaziguar um pouco mais os ânimos? Sim, sem dúvida. Rodrigo Maia tem bom trânsito e habilidade, mas não tem a ousadia do Eduardo Cunha. O ideal seria uma mescla do lado bom dos dois, mas nada é perfeito. E qual será o efeito dessa mudança no curto prazo? Se pensamos no curto prazo, reconhecemos que ele é uma pessoa muito adequada, ponderada e respeitada, e afina-se muito com o perfil do presidente Michel Temer. No fundo, eles se parecem. São parlamentares sem extremismos, sem atitudes extremadas, como o Eduardo Cunha tem, e sem a carga pesada das acusações que recaem sobre Renan Calheiros. Mas Rodrigo Maia está distante do novo perfil de político tão aclamado e esperado? Creio que antes das eleições de 2018 não teremos esse outro perfil de político, considerando a situação atual. Mas em política tudo é possível. A política é um rio correndo. Mas é possível dizer que a economia responde positivamente às mudanças políticas? Não há dúvida nenhuma de que a economia já responde positivamente. A Bolsa, por exemplo, subiu em poucos dias de 39 mil pontos para 55 mil (logo depois da confirmação do nome do novo presidente da Câmara) como efeito direto da mudança política.   Continue lendo essa super entrevista aqui!!!
Compartilhe
Deixe seu comentário
Acesse
Leia também no
Newsletter
Receba no seu e-mail todas as novidades da Revista Distribuição
Facebook Instagram YouTube
Cadastro 5
Cadastro 5
Cadastro 5
Fale com a redação
(11) 5572.1221
Ramal: 206
Publicidade
(11) 5572.1221
Ramal: 210
2016 - 2017. Revista Distribuição. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo | Agência Digital